DSEI Alto Rio Solimões inaugura sistemas de abastecimento d’água


09/01/2019, quarta-feira

Foto: Divulgação

Também foram inauguradas três Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI)

O Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Solimões (DSEI-ARS) inaugurou, no final de 2018, três sistemas de abastecimento d’água nas aldeias Umariaçu I, Cajari I e Cajari II, localizadas na região do município de Tabatinga (AM). Cada sistema é equipado com rede domiciliar instalada e reservatório elevado, com capacidade de 10.000 litros de agua. O total investido nas três obras foi de R$ 1.104.528,41.

Os sistemas de abastecimento d’água foram construídos em aldeias consideradas de difícil acesso, onde os indígenas sofriam há muitos anos com a falta d’água, tendo de andar longas distâncias com panelas na cabeça até a beira do Rio, o que era dificultado ainda mais nas épocas de estiagem. A estimativa é de que aproximadamente mil usuários foram beneficiados com os três sistemas de abastecimento e agora têm acesso à água de qualidade para o consumo em áreas que sofriam com sua falta há mais de 18 anos.

“A região coberta pelo DSEI-ARS tem um déficit de 80% de aldeias sem acesso à água potável e isso é muito grave. Na realidade, tem sido o nosso principal desafio à frente da gestão”, diz o coordenador do DSEI, Weydson Pereira. Planejando a sequência do trabalho, ele completa: “Começamos a implementar no final de 2018 o projeto de perfuração de poço de forma direta, em que o primeiro passo será a aquisição de perfuratriz e materiais diversos para podermos levar, de forma rápida, água de qualidade para as nossas aldeias”.

UBSI

Em dezembro, o DSEI-ARS entregou três Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI) nas aldeias Porto Cordeirinho, Bom Caminho e Guanabara III, localizadas na região do município de Benjamin Constant (AM), a 1118 km de Manaus. Essas Unidades são responsáveis pelo atendimento de mais de 3,5 mil usuários das etnias Ticuna e Kocama, distribuídos em 13 aldeias. São regiões estratégicas que aproximarão mais ainda equipes e usuários e levarão os serviços de saúde de forma qualificada e diferenciada para essa população.

As UBSI contam com sala de vacina, consultório odontológico, consultório médico, consultórios de enfermagem, farmácia, sala de procedimentos, sala de triagem e administração. A UBSI Bom Caminho tem, ainda, uma sala de parto, para a atuação da parteira mais antiga da região: Dona Dionísia, da etnia Ticuna. Ela está com 82 anos, muitos deles dedicados a essa prática tradicional. O DSEI planeja que todas as UBSI tenham uma sala específica para as parteiras tradicionais.

As UBSI – demandas do Plano Distrital de Saúde Indígena 2016-2019 – são resultado de um projeto arrojado de construção, com a aquisição de materiais pelo próprio DSEI. A equipe do DSEI também cuidou da implantação e da logística de envio dos materiais da cidade para as aldeias. O investimento total para construção das três UBSI, aquisição de equipamentos e mobiliário foi de R$ 523.740,00.
Outras cinco UBSI estão em construção, com previsão de entrega para até junho de 2019. Outras quatro Unidades aguardam o início das obras. O projeto do DSEI-ARS prevê a construção de 12 UBSI até o final de 2019.

Com informações da Comunicação da SESAI

Seja o primeiro a comentar

Comentários