Amazonas: Polícia Federal divulga lista dos que desviaram milhões da saúde no Amazonas

13/12/2017, quarta-feira

Foto: Reprodução

Manaus – Após a prisão dos ex-secretários da saúde, a Polícia Federal divulgou a lista completa das pessoas que atuaram tanto no primeiro escalão do Governo do Amazonas quanto do segundo e terceiro.

Foram presos previamente, os ex-secretários da saúde, além de Wilson Alecrim e Pedro Elias, Evandro Melo, o ex-chefe da Casa Civil Raul Zaidan, o coronel da PM, Aroldo da Silva Ribeiro e o médico Mouhamed Moustafa.

Presos temporariamente são Priscila Marcolino Coutinho, José Duarte dos Santos Filho, Keytiane Evangelista de Almeida, Isaac Bemerguy Ezaguy, Ana Cláudia da Silveira Gomes e Marinete Mendes da Silva. A prisão temporária pode ser renovada por mais cinco dias, caso necessário.


Escândalo: Propinas na saúde chegavam a R$ 133 mil por mês, diz PF


Manaus- A cidade de Manaus amanheceu nesta quarta-feira dia (13/12) estarrecida, com a prisão de cinco ex-secretários do ex-governador José Melo (Pros) acusados de envolvimento no esquema de fraudes na saúde pública no Amazonas.

Esse esquema criminoso desviou mais de R$ 110 milhões. Segundo informações do delegado Alexandre da Silva Saraiva, superintendente da Polícia Federal no Amazonas, as propinas pagas a ex-secretários chegavam a R$ 133 mil por mês. A Operação Custo Político prendeu Wilson Alecrim, Pedro Elias (ex-secretários de Saúde), Raul Zaidam (Casa Civil) e Evandro Melo (Administração) e irmão de José Melo. Zaidam cumprirá prisão temporária; Pedro Elias foi preso em São Paulo; Wilson Alecrim e Evandro Melo cumprirão prisão preventiva.

O coronel Aroldo Ribeirom, da Polícia Militar, foi preso também. Ele fazia a guarda pessoal de Mouhamad Moustafá, médico que foi novamente preso na manhã desta quarta-feira.


O delegado informou que a com as decisões da justiça e algumas cautelares, foram realizadas três prisões preventivas, nove prisões temporárias, 27 conduções coercitivas, 27 mandatos de busca e apreensão e 18 mandados de sequestros de móveis e imóveis expedidos pela Justiça. O total dos bloqueios chegaram a atingir R$67 milhões.

Portal CM7

Seja o primeiro a comentar

Comentários