Ultimas Novidades

Buscar no blog

PROPAGANDA

PROPAGANDA

#Tabatinga-AM - Profissionais da Educação de TBT acusam prefeito de perseguição política

Clique em cima das imagens para ler
20/03/2017, segunda-feira

Foto: WhatsApp (Comunicado dos professores da E. E. Pedro Teixeira)

Tabatinga (AM) – Sábado passado dia (18/03), a ex-gestora da Escola Estadual Marechal Rondon, Alcineila Castelo Branco Maia, publicou uma nota informando que não era mais gestora da referida escola. Veja abaixo a publicação do seu Facebook na íntegra:

“COMUNICADO A COMUNIDADE ESCOLAR DA ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON – EEMR”

Venho de público comunicar a toda comunidade escolar da Escola Estadual Marechal Rondon – EEMR, que desde o 
dia 16/03/2017(quinta-feira) não respondo mais pela gestão da escola, conforme Ofício n. 006/EEMR/2017  protocolado junto a Coordenação Regional de Educação de Tabatinga. A iniciativa é pessoal e deu-se principalmente por ato de repúdio e indignação daquilo que o próprio Coordenador, professor Waldeclace Batista chamou de acordos políticos, mas que prefiro nomear como perseguição política e atos espúrios. Há mais de oito anos desempenhei minhas funções a frente da gestão com esmero, profissionalismo, ética e sempre comprometida com as causas da educação e grandes foram os resultados alcançados neste período, desde a coesão de uma equipe qualificada, comprometida e profissional, a participação efetiva de pais e alunos na escola, até os excelentes resultados nos índices da educação estabelecidos pelo governo federal no decorrer de todos estes anos. Metas estas alcançadas graças ao trabalho sério e focado em ações para a construção de uma educação de qualidade, visando a formação de futuros cidadãos éticos, políticos e dotados de uma moral sólida, para formação de uma sociedade mais justa e igualitária. Infelizmente, competência, compromisso com a educação, resultados positivos e o bem comum da coletividade não são atributos que se deva valorar, por aqueles que fazem da política uma ferramenta de perseguição, atos vil e de puro descompromisso com a educação. Deixo bem claro, que não tenho apego algum com cargos, sou bastante esclarecida para saber que nomeações a funções de confiança se dão a bem da necessidade da administração pública. Contudo, creio que deve haver um mínimo de respeito por aqueles que lograram êxito na sua missão. Tais acordos abjetos e nefastos dotados de personalidades desprovidas de conhecimento, desconhecem até mesmo que vivemos num Estado Democrático de Direitos, conforme asseverado no art. 10 caput,   da Constituição Federal de 1988, e de princípios, art. 10 e os incisos II, III e V asseguram a Cidadania, a dignidade da pessoa humana e o pluralismo político e de garantias de direitos, conforme art. 50, incisos IV da CF/88. Constituição esta que assegura aos seus cidadãos no art. 14 o direito ao voto e a escolha de seus representantes. Estes direitos, eu exerci no último pleito municipal com convicção, clareza, discernimento e firmeza de propósito ao escolher e votar em um candidato que acreditei ser melhor preparado para o exercício da função. Por este ato civil, democrático e de direitos não admito perseguição ou qualquer outro ato que tenha o cunho de cercear meus direitos, e se possível fosse faria tudo de novo com a mesma convicção. Deixo então, meus esclarecimentos!!!! E, aproveito para deixar um recado, não a estes perseguidores, porque a estes a própria caminhada da vida se encarregará de revelar seus reais propósitos, mas aos pais para que não desistam da educação de seus filhos, pois eles tem um potencial fantástico e ainda darão muitos frutos; às crianças, jovens e adultos que estudam na EEMR não parem, pois os caminhos da vida guardam muitas vitórias e sucesso para aqueles que não desistem e aos  colegas professores, digo, sejam perseverantes, fortes, determinados e focados, pois vocês são a base de toda a educação deste País. Por fim, deixo meus sinceros agradecimentos a toda equipe pedagógica, administrativos, professores, funcionários em geral, pais e alunos, sem os quais a escola não tem razão de ser.”

Na Escola Estadual Pedro Teixeira formaram uma comissão com a elaboração de um documento que será entregue na SEDUC e à Prefeitura de Tabatinga pedindo esclarecimentos sobre a exoneração do gestor da Escola Estadual Pedro Teixeira, Aldecir de Souza Martins, que aconteceu juntamente com Alcineila Castelo Branca Maia. “Isso acontecia somente na rede municipal, agora começou a politicagem na rede estadual”, comentou um professor da Escola Estadual Pedro Teixeira. Veja acima o comunicado da referida escola e a insatisfação com a atual situação.


Seja o primeiro a comentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário